Loading...

Garçom, por favor, segmentação, big data, apps e um pouco de TV por favor!

Garçom, por favor, segmentação, big data, apps e um pouco de TV por favor!

dezembro 14th / Por fuse / em mídia / nenhum comentário.

A publicidade mudou, isso não é mais segredo nenhum para qualquer agência tradicional ou digital, entretanto, algumas alterações recentes prometem balançar o mercado ainda mais.

A forma como nós agências nos relacionamos com os veículos de comunicação irá mudar vertiginosamente um prazo pequeno, suponho, que no máximo em dois anos.

No dia 03 de novembro a Rede Globo lançou seu mais novo app, Globo Play, no dia 04 já era o mais baixado nas lojas de aplicativos e menos de uma semana depois havia alcançado 1.000.000 de downloads.

O app exibe conteúdos do canal tradicional e para Rio de Janeiro e São Paulo, futuramente para o resto do país, é possível ver a programação em streaming ( tempo real ).

Enxergo essa inserção da Globo não só como estratégia de audiência, mas sim como uma adaptação do veículo mais poderoso do país à publicidade segmentada.

Ao instalarmos o app, aceitamos a políticas de cookies, ou seja, seremos rastreados pelo aplicativo visando a publicidade segmentada.

Em conversas de bastidores com veículos conseguimos captar que a intenção da Globo é em um futuro próximo dar acesso ao próprio anunciante a possibilidade de criação e segmentação do anúncio no app através de uma plataforma semelhante ao Google Adwords ou Facebook Ads.

Isso representa o fim das agências? Você vai perder seu emprego ? A Fuse vai fechar? Claro que não, representa uma necessidade latente de todos os agentes do meio se adaptarem, entenderem essa mudança, compreenderem o público do seu cliente e principalmente oferecer soluções criativas.

Significa então deixar de anunciar na TV e mirar apenas os veículos on line? De maneira nenhuma! A TV ainda tem e terá por muitos anos uma audiência fiel e continuar a prestar um serviço importantíssimo para as marcas, credibilidade.

Na internet encontramos muito lixo comercial, a mídia on line permite anúncios com pouco budget e isso faz com que encontremos diversas empresas sem nenhum tipo de reputação ou credibilidade exibindo sua marca , implorando por cliques e compras que nem sempre são confiáveis.

Ao anunciar nas mídias tradicionais, a marca não compra apenas visibilidade, compra credibilidade, mesmo que nem sempre apenas seu target seja atingido.

O ideal é cruzar esforços e investimentos em mídias baseadas em novas tecnologias, segmentadas, direcionadas ao seu target e efetiva aliado ao patrocínio tradicional que dirá ao público alvo da marca que ela tem reputação e credibilidade.

O segredo é o equilíbrio, sempre!

That’s all folks!

Já viu o que o Gusthavo tem a dizer sobre conteúdo essa semana? Clique aqui e confira!

Por Thiago Cassab

Diretor de Atendimento e Sócio-Diretor na Fuse Comunicação

WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe está aqui para atender!
Oi, como posso ajudar?